A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

20 abril, 2008

Coitado...

"O presidente da República, Cavaco Silva, terminou esta noite a visita à Madeira com rasgados elogios a Alberto João Jardim, considerando que o presidente do governo regional é «uma referência incontornável»."

in ' TSF-Online '




Referência incontornável... ISTO?! Curta, a memória do sr. Silva. Ou então é capaz de ser surdo, ou cego, ou de não ter um mínimo de vergonha na cara! Ou tudo junto, coitado!...

13 comentários:

MPS disse...

Caríssima PV

O cavalheiro da Madeira é volumoso, mas chamar-lhe incontornável é insulto!!! Vai ver, foi essa a arma do Presidente da República, incapz de fazer melhor (eu espero que esta ironia me saia menos discreta...)

Soa tudo a uma farsa estranha, escrita a muitas mãos e, por isso, sem consistência dramática, em que os actores dizem agora uma coisa e, a seguir, o seu contrário. Se dão por isso não se importam desde que assegurem a presença em cena. Algum público vai-se fartando de tamanho desconchavo, mas a maioria parece aplaudir. "E assim se fazem as coisas", como dizia Gil Vicente na voz de Mofina Mendes.

Um abraço

Porca da Vila disse...

Olá MPS,

Assegurar a presença! Isso é o que importa no fundo a estes actores de comédia barata em que há muito se transformou a política neste país! Com este elogio patético, espera o sr. Silva garantir sem mais engulhos o apoio do sr. Jardim e do PSD da Madeira para a sua reeleição! O resto, os 'sapos' que vai engolindo, não importam!... A ele, pelo que se vê!

Xi Grande

aDesenhar disse...

os deuses devem estar loucos!

Carminda Pinho disse...

Ó Porca, mas o que é que esperavas do sr. Silva?
Milagres?
Eles merecem-se...

Beijos

poesianopopular disse...

É lamentável que: -a democracia portuguesa esteja entregue democráticanmente, a estes interpretes pouco dignos, de a representarem!
Que fazer? -o povo é quem mais ordena, vamos aguardar que:- ordene melhor, e sobretudo que se interesse mais pela política e saiba distinguir os verdadeiros políticos, dos politiqueiros!
Abraço
José Manangão

Porca da Vila disse...

adesenhar,

Não só os Deuses...

Xi Grande

Porca da Vila disse...

Olá Carminda,

O homem tinha obrigação de ter sido um pouco mais discreto e, por razões óbvias, contido nos elogios ao sr. Jardim. Pelos vistos, esqueceu-se...

Xi Grande

Porca da Vila disse...

Manangão,

Não é fácil mudar a mentalidade deste Povo manso, que mesmo levando no pêlo todos os dias, insiste em manter no poder os mesmos de sempre. Já era tempo de que se tivesse aprendido alguma coisa!

Xi Grande

TINTA PERMANENTE disse...

Cada vez mais este é o rincão onde apenas basta estar de pé para se ser um gigante!...

abraço!

Porca da Vila disse...

Tinta Permanente,

É mais tipo 'gigantone', o sr. Jardim... Com bombo e tudo!

Xi Grande

Agulheta disse...

É lamentavél que este País continue a ter políticos de treta" se precisa urgente de pessoas de bem
agulheta

Porca da Vila disse...

Olá Agulheta,

Pessoas de bem não se metem na chafúrdia em que se transformou a política neste país. Por isso não será fácil que o actual cenário mude para melhor nos tempos mais próximos...

[Grata pela visita, que suponho ser a primeira.]

Um Xi Grande

Dario Silva disse...

Portugal a bater no fundo.

Retratos