A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

11 junho, 2007

Allcochete...


"O presidente da Confederação da Indústria Portuguesa, Francisco Van Zeller, disse hoje que a localização do aeroporto na margem sul, em Alcochete, permite projectar uma infra-estrutura com 'grande ambição' e 'capacidade ilimitada de desenvolvimento'.

Van Zeller, que se fazia acompanhar pelo economista e ex-ministro das Finanças Ernâni Lopes e pelo ex-ministro do Ambiente Carlos Borrego, explicou que nesta zona o aeroporto pode ser construído mais cedo, o território é plano e haverá ganhos em termos de acessibilidades."
in ' Público '


Nesta matéria do novo aeroporto, como em quase todas as outras nos tempos actuais, nesta espécie de país, manda afinal... o poder económico. Claro!

Bastou estes senhores levantarem o dedo e o Governo recuou, gaguejou, engasgou, e 'abriu-se' completamente aos seus desejos. Como que por magia, acabou-se a [inexplicável] teimosia que ministros e 'bicharéis' vinham mantendo face à crítica generalizada da opinião pública.

A mim, neste cú de mundo, pouca diferença fará que o venham a construir num ou noutro lado. Mas sempre direi que me parecem ser de longe mais adequadas as condições em Alcochete do que na Ota.

Até porque, nem que por mais não fosse, neste país de 'Allgarves', sempre ficará mais a gosto de certa 'parolagem', que se possa oferecer ao turismo de meia-tijela da Europa o 'Aeroporto de Allcochete'!


[Parece que o bando de atrasados mentais da 'Quercus', sem atender ao estatuto especial dos terrenos de Alcochete, há décadas debaixo de servidão militar onde, precisamente por isso, as regras da REN não são aplicáveis veio já, como é costume e sem saber explicar bem porquê, declarar que é rotundamente contra.]

12 comentários:

Tortulhas disse...

Biba cochinica,

Eiqui, trás de l sol çpuosto, tamien tanto se mos dá que fágan l couso nun sítio cumo noutro, a nós bonda-nos saber que tamien pagamos...
Mas desta beç si nun rejisto a dezir-te que si me anchiu bien l'alma oubir chamar-le "bando de atrasados mentais" als rapazicos de la Quercus. Medrei un cacho!... que you cuidei que nun se podie dezir isso an boç alta. Ah rapazes! I dezir que nun hai quien les cuorra a la pedrada, cumo acunselhou l outro de Bizeu!!

Porca da Vila disse...

Olá Tortulhas,

Pela desses 'rapazicos' nunca se fazia nada. Nem estradas, nem barragens, nem aeroportos. Nada! São sempre contra tudo por uma espécie de militância idiota. Por eles, íamos todos para o monte a ouvir cantar os passarinhos e vivíamos do ar.

Bom ver-te por aqui. Qualquer dia já sai qualquer coisa em Mirandês. Prometo.

Um Xi da Cochinica

Meg disse...

Ah mas como eu gostei desta do aeroporto de Allcochete!!! cá para o lado dos Allgarves.
Afinal quem é que sabe de aeroportos, quem é?
Há 3 meses, há 3 meses que a "coisa" andava a ser feita..
Atiraram-nos uns camelos para nos entreterem e olha, já está!
Isto agora está mais arejado... realmente.

Um abraço

Ka disse...

Cara Porca,

Não fico convencida e até suspeito que seja uma mera operação de cosmética até encontrarem o momento certo (quando andarmos distraídos com qualquer outra crise no país) para dizerem definitivamente que vai ser na OTA. Aguardo para ver...

Um xi da ka

Rendadebilros disse...

Eu acho que vou propor que venham para a minha zona...dava-me muito jeito...

Boa semana.

Porca da Vila disse...

Olá Meg,

Pode ser que me engane, mas estou convencida de que o governo vai voltar a insistir na Ota, e que isto é apenas para ir calando a oposição. Veremos...

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Olá Ka,

Também estou convencida do mesmo. O Sócrates é teimoso como uma mula, e há-de querer levar a dele por diante.

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Olá RendaDeBilros,

Jeito, não digo que não desse, mas uma estrutura destas arrasta também um monte de problemas, que eu não queria aqui na Reserva.

Um Xi da Porca

Luikki disse...

mais uma grande jogada...muito bem combinada...
nem ota nem alcochete!
portela, sem figo maduro, e alverca para carga e lowcost...

Porca da Vila disse...

Olá Luikki,

Chama-se a isto, jogar para o 'empate'... à boa maneira dos nossos estrategas da 'bola'!

Xi da Porca

J.G. disse...

Tudo dependerá dos investimentos privados que lá tenham sido feitos na Ota. Anão ser que haja quem tenha outros "pa troca"...

E mais não digo...

Quanto à Quercus, está sempre do contra, já não me admiro.

Um abraço.

Porca da Vila disse...

Olá Jorge,

Acho que já nem vou estranhar que venham a ser os grandes investidores a condicionar a escolha.

A indicação de Alcochete por este grupo é um bom exemplo disso!

Xi da Porca

Retratos