A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

14 julho, 2008

Mudar...

"Os pedidos de primeira consulta hospitalar vão ter de ser avaliados e de receber uma resposta no prazo máximo de nove meses, até ao final deste ano.

Incluída no programa de desburocratização Simplex, esta medida permite a marcação de consulta de referência para especialistas hospitalares a partir do médico de família, por via electrónica, assim como a transferência da informação clínica do utente.

Para assegurar o cumprimento destes objectivos, está já a ser desenvolvido um sistema de informação, que em breve estará operacional em todos os hospitais, centros e extensões de saúde."

in ' Público '




O ar que se respira neste país em queda livre é cada vez menos suportável. De pesado, de conspurcado. Pela mentira descarada, pelo patético faz-que-faz-mas-não-faz da desastrada governação cor-de-rosa... Que até já aqui pela Reserva começa a ser difícil aguentar, pese a distância à capital do Império, tal o cheiro a podre que de lá não deixa de cá chegar.

Como os ventos parecem não prometer mudança nos tempos mais próximos, quem vai mudar já, sou eu. De ares!...


12 comentários:

MPS disse...

Boas férias, então, cara amiga.

Um abraço

poesianopopular disse...

Então um bom e merecido descanso para a guerreira!
Após as férias, é preciso o teu contributo, para mais e melhor democracia!
Boas férias amiga!

Carminda Pinho disse...

Porca, nem tenho palavras...
PQP eles todos.
Se vais de fárias, aproveita para respirar ar puro...

Beijos

J. Stocker disse...

Cara PV

Boa mudança de ares, boas férias

Um abraço

meg disse...

Querida PV,

Umas óptimas férias, minha amiga.
Um bom fim de semana e
UM XI PA TI

Jorge G. disse...

Se "mudar de ares" significa férias em outro lugar, então desejo-te uns dias retemperadores.

Abraço.

Joseph disse...

Caríssima Porca,

… máscara antigás até à fronteira e desinfectante no primeiro hotel, porque os chatos estão por todo o lado e é “chato” …

samuel disse...

Também eu seria um bom candidato a mudar de ares... desde que fosse sem regresso.

Abreijos

rendadebilros disse...

Razão afinal têm os candidatos ao Ensino Superior que ( ainda têm que ir para as filas às tantas da matina) não se candidatam pela net por não confiarem no sistema... já o meu avô dizia in illo tempore "quem muitos burros quer tocar, algum para trás há-de ficar"... parece que ficam todos!!!... também se pode aplicar outro provérbio "muita parra e pouca uva!".
Boas férias, espero...
beijos.

Marreta disse...

Por muito mau que isto esteja, não te passes para Castela! Temos é pegar em pás como a padeira e rebentar-lhes com os miolos a todos! Isto está a precisar é de sangue!
Saudações sanguinárias do Marreta.

rendadebilros disse...

Deixei-te um desafio no meu canto, se tiveres vagar , disposião e paciência!
De férias, I presume??? Que sejam boas! Beijos.

Porca da Vila disse...

Queridos amigos,

Obrigada pela vossa presença. Como terão visto ao chegar, o sucedido ontem com um amigo já dos tempos do Liceu fez-me aqui voltar mais cedo do que o esperado. Para lembrança futura, e também para que seja conhecido o seu nome, pois as notícias que vão passando nas rádios e canais de TV não o referem.

Aproveito para desejar a todos umas boas férias.

Um Xi Muito Grande

Retratos