A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

09 outubro, 2007

Regresso ao Passado

"O Sindicato de Professores da Região Centro considera 'intimidatória' a visita de agentes da PSP a pedir informações sobre os protestos a realizar, terça-feira, na visita do primeiro-ministro à Covilhã. O ministro da Administração Interna já anunciou que pediu um processo de averiguações a esta situação.

José Sócrates é esperado às 15:00 na Escola Secundária Frei Heitor Pinto, onde estudou, numa acção organizada no âmbito da iniciativa 'Regresso à Escola', da responsabilidade da Comissão Europeia."


in ' TSF Online '



Tal como no tempo da ditadura, de novo a Polícia, à boa maneira da antiga PIDE, entra sem licença, ameaça, vasculha e pilha o que entende. Tudo a bem da Nação, na suposta defesa da imagem e do 'bom' nome do senhor primeiro-ministro. Teima este em ignorar que os tempos mudaram. E em não querer ouvir, porque parece que lhe custa, quem o critica!

Esquecendo que só porque os tempos mudaram, é que autênticos bandos de incompetentes, aldrabões e vigaristas, como ele [não] demonstrou na questão da sua licenciatura em Engenharia, conseguem chegar ao Poder. Coisa que antes, Salazar, com todos os seus defeitos, dele e do regime, não deixava.

Voltámos de novo à mordaça, nesta merda de país em que o Povo já pouco mais tem do que a liberdade... de estar calado! E, pelos vistos, confunde-se 'Regresso à Escola' com 'Regresso ao Passado'! Por enquanto...


10 comentários:

MPS disse...

Fiquei estarrecida com o acontecido. De novo, volta a identificar-se o chefe com o Estado. Faltam as prisões arbitrárias (será?) e as mortes para que a tirania volte a conspurcar a nossa pátria.

"Era de noite e roubaram
O que nesta casa havia.
Só corpos negros ficaram
dentro da casa vazia!"

Hoje andei toda a manhã com esta canção do Zeca na cabeça. Que tempos!

Um abraço para si.

Meg disse...

A coisa está preta, amiga Porca!!!
E na RTP, o JRS falou... "dançou"!
Saio devagariiiinnnhoooo

Xi pa ti

Pastor Transmontano disse...

Tudo me leva a pensar, que este 1º ministro, quiçá engº mal ataviado, foi no tempo da "outra senhora", militante da Mocidade Portuguesa e Legionário.

Velhas recordações.

Marreta disse...

O retrocesso é tamanho que o tempo da antiga senhora já se começa a confundir com os tempos presentes.
Este é o mesmo senhor que hoje afirmou isto:

"O primeiro-ministro, José Sócrates, afirmou hoje que a União Europeia aspira a ser mais do que um espaço de prosperidade económica, mas também um bloco em defesa da inviolabilidade da vida, contra a pena de morte."

Tão nobres valores na oratória e tão fracos exemplos na prática.

Saudações.

J.G. disse...

Foi lá e recebeu as devidas homenagens: um monumental coro de assobios de uma plateia essencialmente constituída por miúdos que não são parvos!...E que vão crescer! estão aqui...estão a votar!
Repugnante!

NÃO PODEMOS TER MEDO!

Um abraço.

Porca da Vila disse...

MPS,

As prisões arbitrárias, quer-me parecer que são já um facto. As mortes, pelo andar da carruagem, pode ser que não tardem!...

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Meg,

Está [preta], mas é fácil deixar de estar. É tudo uma questão de o Povo deixar de ser burro. Nas próximas eleições!... E esta cambada volta rapidamente àquilo que sempre foi. Uma valente merda!

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Pastor Transmontano,

Legionário não, que ainda não tinha idade para isso. Mas da MP e de outras mariquices parecidas, não tenho grandes dúvidas!...

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Marreta,

Começa, efectivamente, a não ser fácil destrinçar certas coisas que hoje acontecem das que ocorriam no tempo de Salazar.

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Jorge,

Tenho pena, mas não vi essa 'homenagem'.

Espero é que receba o devido reconhecimento em 2009. Em forma de votos... ou melhor, da falta deles!

Um Xi da Porca

Retratos