A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

15 outubro, 2007

Banho da Cobra

Não há engano, já que não é de 'banha da cobra' que se trata, mas do insólito banho desta cobra enorme, de fazer fugir qualquer cristão. Dado com evidente dedicação por este valente pequerrucho. Ou pequerrucha, quem sabe!


A cena passa-se na Tailândia, e mais do que a bizarra desproporção entre os tamanhos do animal e da 'banheira', chama especial atenção o ar de consolo e satisfação do bicharoco e o ar compenetrado do pequeno tratador, que põe na tarefa todo o cuidado e carinho!

Como foi possível chegar a uma relação como esta, tão próxima, tão íntima, entre um animal desta natureza e um ser humano tão frágil ainda! Admirável!


24 comentários:

Moriae disse...

Questões da natureza ... boa madrasta. tal como é anti natura termos os ministros que temos. mas ... lá estou eu a ser tendenciosa ...

bjinhos querida amiga!

Porca da Vila disse...

Moriae,

Esperemos por 2009...

Um Xi da Porca

Marreta disse...

Quem sabe se a cobra não será também um animal tão frágil ainda, de tenra idade...

Saudações.

Carminda Pinho disse...

Porca,
não consigo ver a imagem.
Volto mais tarde.

Beijinhos

Porca da Vila disse...

Marreta,

De tenra idade ou não, quem não lhe dava banho era eu! Livra!

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Carminda,

O 'Blogger' esteve muito estranho todo o dia! E continua a falhar de vez em quando. Ainda há pouco eram os meus comentários que não entravam!

Vê a foto, que vale a pena.

Um Xi da Porca

Linfoma-a-Escrota disse...

Já tive na tailandia e depois de ver os gajus a comerem tartarugas, tubarões, jacarés e baratas fritas num espeto NADA ME ESPANTA:

WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM

MPS disse...

Cara PV

Prefiro olhar e ver uma cena de grande ternura do que supor as maldades que possam estar a ser feitas, quer à cobra, quer ao raparigo.

Um abraço

Porca da Vila disse...

Linfoma,

Acredito...

Xi da Porca

Porca da Vila disse...

MPS,

É frequente, pelo que se conhece, uma relação de grande proximidade entre estes bichos e os donos. O que me deixou espantada foi o tamanho e o empenho do pequeno!

Um Xi da Porca

Rui disse...

Porque te admiras?
Já viste bem a cambada de animais com que nós convivemos diáriamente?
Repara: Temos burros nas obras públicas, cavalgaduras, nas finanças e economia, uma serpente na educação,suínos em... enfim acho que já entendeste!

Bjs!
Rui

Menina do Rio disse...

Hoje me vesti de Menina, vim te
trazer um beijo e te convidar
pra uma festa! Pelos bons tempos!

Um carinho e meu sorriso!

Carminda Pinho disse...

Ui que medo!
Como é possível?
Isto não será uma fotomontagem ou um efeito especial?

Beijinhos Porca amiga.

Porca da Vila disse...

Rui,

Queres tu dizer que temos um jardim [zoológico] a governar outro jardim...

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Veronica,

Festa?! Vou já preparar-me!

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Carminda,

A mim parece-me bem real. Quase sinto a cobra a ronronar como um gato!

Um Xi da Porca

Ka disse...

Porca,

Eu vi o programa onde este miudo trata a cobra como um animal de estimação e dorme com ela e tudo. Porque funciona? Porque há respeito...tão simples quanto isso. 
Um certo dia a cobra desapareceu e o miúdo chorava baba e ranho com saudades dela, acreditas?

simplesmente fantástico

Um xi da ka (azul com toda a certeza)

Porca da Vila disse...

Ka,

Claro que acredito. Para um miúdo desta idade o animal que tem por amigo e companheiro é o seu mundo para além dos pais.

Tenho pena de não ter visto esse programa.

Um Xi da Porca
[hoje pode ser verde e vermelho]

Moriae disse...

A ideia do Rui é interessante ... Sinistra MiniStra em que nos SSSSS aparece uma sibilante serpente. Mas lá está, o animal sem pernas não tem culpa!

xi da Moriae :)

Meg disse...

Ai, Porca, isto bem poderia ser uma lição a aprender.
O impensável acontece... eis a prova.

Um xi pa ti, Porca!

Porca da Vila disse...

Moriae,

Por acaso não gosto mesmo nada de cobras. Da 'outra' gosto ainda menos...

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Meg,

Pois sim... eu é que não me metia na banheira com uma bicha destas!

Um Xi da Porca

J.G. disse...

Isto só vem provar que os animais das mais diferentes espécies se entendem entre si.

Só humanos com humanos é que não

E porque será?!

Abraço aos concidadãos da Braganzónia.

Porca da Vila disse...

Jorge,

Estes humanos são doidos!...

Um Xi da Porca

Retratos