A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

28 setembro, 2007

Conselhos

"Entre os trabalhadores da União Europeia os portugueses são dos que estão mais descontentes com o ordenado que recebem. Um inquérito europeu sobre condições de trabalho, mostra que 72 por cento dos portugueses acham que ganham mal.

O director da Fundação Europeia para a Melhoria das Condições de Trabalho dá um conselho ao Governo português: "Aumentem os ordenados. Para que as pessoas se sintam felizes e aumentem a produtividade, os ordenados têm de ser aumentados".


in ' TSF Online '



Claro que o Zé Sócrates vai dizer que isto é uma grande mentira, e que o inquérito até nem merece credibilidade por não ter sido 'sujeito, dentro do prazo previsto por lei, a um controlo por um juiz de direito', tal e qual como no caso das escutas telefónicas relacionadas com o seu mal explicado diploma de engenheiro!...

Deixasse-se ele de merdas e fosse dando ouvidos aos conselhos que lhe dão...


22 comentários:

João Rato disse...

O nosso modelo de desenvolvimento continua a ser como nos anos setenta, oitenta e noventa: mão de obra barata!
Hoje, mais que nunca, a ordem é seguir o exemplo da China!

Porca da Vila disse...

João,

Isso, e o 'despachar' de mais uns milhares de emigrantes para a 'outra' Europa, de olho no dinheiro que dessa forma vai entrando no país a custo zero!

Um Xi da Porca

MPS disse...

Cara PV

Os níveis inferiores da nossa escala salarial são, de facto, criminosamente baixos e
o salário é parte essencial daquilo que podemos designar por satisfação com o trabalho. No entanto, as condições em que somos obrigados a desempenhar as nossas funções são tanto ou mais importantes do que o salário: trabalhamos perto de casa?
Próximo do trabalho existem escolas que recebam os nossos filhos? O nosso horário permite que façamos as refeições com a família, em vez de sermos obrigados a deixar sozinhos os nossos filhos? O nosso chefe sabe mandar? Percebemos a utilidade daquilo que fazemos? Somos tratados como gente? Etc.

Há tanto para mudar e tão poucos os homens de poder com desejo de o fazer!

Um abraço

J.G. disse...

Esse Director da F. E. é um homem do Norte carago, esse homem é um SENHOR, caral..!

Beijinhos pra ele.
E um abraço à porca!

Assinado: um cidadão honorário da Braganzónia, eu.

Porca da Vila disse...

Olá MPS,

O mundo é feito de mudança! Isto cantava-se, e cantava-o o Zé Mário Branco nos anos 70! Mas ainda hoje há uma cambada de camelos, dessa geração, que não chegou lá!...

Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Jorge,

Não conheço o 'homem', mas que dá bons conselhos... dá!

Pena é que o 'outro', aquela 'amostra' de homem, os não siga!...

Um Xi da Porca

sveronica disse...

Querida, vim te deixar um beijinho!

Porca da Vila disse...

Olá Verónica,

Obrigada pela visita. Outro para ti.

Um Xi da Porca

Rui disse...

Qualquer coisa como chamar salário ao que a grande maioria dos portugueses aufere começa a tornar-se tão ridiculo como ridiculo é o Sr. José S. quando se vangloria de coisas como o novo serviço "perdi a carteira".

-Não não perdi! Roubaram-ma e foste tu, seu engenheiro de trazer por casa. Roubas-ma e agora ainda me cobras para me dar os documentos!

Different disse...

:) Qualquer dia nem precisamos da carteira:)

J.G. disse...

BRAGANZÓNIA!...BRAGANZÓNIA!...
BRAGANZÓNIA!...BRAGANZÓNIA!...

Um abraço, heixe!

Porca da Vila disse...

Rui,

Aqui não temos esse problema. É que ainda cá não chegou sequer a Loja do Cidadão!... [e duvido que alguma vez chegue!]

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Olá 'Different',

É a adaptação ao 'Simplex' daquela história do Burro e do Feixe de Palha...

Então de férias até agora?! Chiça! Cheguei a pensar que também já estavas refugiada em Espanha! HeHe!

[Estou a brincar. Sê bem aparecida]

Um Xi da Porca

J.G. disse...

Jorge,

Ainda a comemorar o 'ouro' dos 'Bigodes do Gato'?!

[E estás lindo!... HeHe!]

Um Xi da Porca

Ka disse...

Pois é,

Destes estudos não fala o governo!!! anda antes entretido a fazer inaugurações balofas de equipamentos que não funcionam...

Um xi da ka (a 5 pontos do 2º heheh :))

Porca da Vila disse...

Ka,

Não falam porque isto não passa de 'uma grande mentira', no dizer do bacharel!

Um Xi da Porca

[5 pontos... pois... E a Taça, Ka?! Snif...]

Meg disse...

Mas afinal o que é isto de ser cidadão honorário bla,bla,bla...?
Aiaiaiai!!!
Quero saber.

Xi pa ti

Porca da Vila disse...

Olá Meg,

Foi uma brincadeira aqui há uns tempos atrás com o Jorge 'Sineiro'. Já não me lembro bem a que propósito, zás! Resolvi nomeá-lo cidadão honorário da Braganzónia!

Fico cá eu agora a pensar se não seria boa ideia distinguir da mesma forma os amigos da Reserva!

Vou pensar melhor nisso e num 'boneco' apropriado.

Um Xi da Porca

Meg disse...

Olha, OLHA... o meu dedo no ar!!!!

Um xi pa ti

Marreta disse...

Ele deve ter percebido que era necessário aumentar os ordenados dos políticos para que se sentissem mais motivados e aumentassem a produtividade de forma a governarem melhor os portugueses...

Porca da Vila disse...

Meg,

Estás quase!...

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Olá 'Marreta',

Os políticos não precisam que os aumentem... Aumentam-se a eles próprios!

Um Xi da Porca
[Grata pela tua visita]

Retratos