A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

08 julho, 2007

Top Five


"O aeródromo de Bragança faz parte do conjunto restrito das cinco infra-estruturas aeroportuárias nacionais com certificado de voo internacional, junto com os aeroportos de Lisboa, Porto, Faro e o aeródromo de Cascais."



Esta agora!!! Então não era suposto sermos a região mais atrasada da Europa?!!!

6 comentários:

Rendadebilros disse...

E agora? Achas que esses senhores sabem onde fica esse aeroporto? ehheheheh

Bom domingo!

Porca da Vila disse...

Olá RendaDeBilros,

Quem o diz é o pedante do presidente da Câmara que por cá temos. Esqueceu-se foi de dizer que a tal certificação é apenas para aviões de pequeno porte, como os de 48 lugares da Aerocondor que no Verão de 2006 fizeram alguns voos experimentais entre Bragança, Agen e Paris.

Um Xi da Porca

Meg disse...

Ahahahah... e esperavas o quê? Já não sabes o que a casa gasta? Ainda não percebeste que estás numa terra de ninguém (por enquanto)

Abraço

Menina do Rio disse...

Bom dia Porca!
Pelo menos não há greve de controladores...

Beijo

Porca da Vila disse...

Olá Meg,

Não há problema. Os espanhóis qualquer dia tomam conta disto. Já andam por aí a comprar tudo o que é quintas, vinha e olival!

Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Olá Menina do Rio,

Esse risco não corremos porque os controladores, apenas dois, são funcionários do Município.

Daqui a pouco vou apanhar o avião para ir ao Rio fazer-te uma visita.

Xi da Porca

Retratos