A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

23 julho, 2007

O Acordo de Ourense

["Já reparaste? Se ficares prenha...
...isto vai ser o mais parecido com trabalhar que fiz na vida!"]



"El fiscal general del Estado, Cándido Conde-Pumpido, ha aprobado el secuestro del último número de la revista satírica 'El Jueves', ordenado por el magistrado de la Audiencia Nacional Juan del Olmo, una 'grosería innecesaria' por lo que 'el juez debe poner un límite'.

'Cualquier observador imparcial verá que la portada es infamente e injuriante y los afectados tienen el derecho fundamental al respeto por su dignidad y honor'.

El fiscal general del Estado ha hecho estas declaraciones en Ourense, donde se encuentra con el ministro de Justicia, Mariano Fernández Bermejo, y sus homólogos portugueses para firmar un acuerdo de cooperación entre ambos países para luchar contra el terrorismo.

Además del secuestro, el fiscal Miguel Ángel Carballo solicitó el viernes al juez del Olmo que adopte las medidas oportunas para cerrar la página en Internet de 'El Jueves' tras constatar que en ella se sigue difundiendo la caricatura de los Príncipes de Asturias.

La portada de la revista muestra una viñeta satírica en la que aparecen representados sendas caricaturas del príncipe de Asturias, en una postura sexual explícita. La viñeta hace referencia a la ayuda de 2.500 euros a la maternidad anunciados por el Gobierno."


in ' El Mundo '



Na sequência do sucedido com o 'Portugal Profundo', fico cá a pensar se não haverá 'serviço' combinado entre os governos [PS] da península... e se o tal 'Acordo de Ourense' tratará apenas do combate ao terrorismo...

6 comentários:

Luikki disse...

creio que os espanhóis - muito menos bovinizados que a maioria dos habitantes do rectângulo - saberão responder a eventuais ataques à liberdade...

abraço

Meg disse...

Oi, Porca

Era, estava no início da gestação... nasceu, e fiquei aliviada. Agora mandem-me às malvas, se quiserem... Que alívio!
Mudando de assunto... enão toda a gente fala no mesmo, até o Sineiro, de Paris, é do que fala!
Anda muita inquietação no ar... E não é só no Tuguistão.

Um abraço, (mesmo sem saber se amigas como dantes...)

Rendadebilros disse...

Até que enfim que vejo "la portada" ... o juiz conseguiu: DAR AINDA MAIS PUBLICIDADE à revista! Fantástico!
Estão a pôr-se muito de acordo estão... os senhores da península...
Boa semana...

Porca da Vila disse...

Olá Luikki,

Os partidos da oposição já deram um valente puxão de orelhas ao 'fiscal general'! Foram unânimes em condenar o 'secuestro' da revista, considerando a medida completamente desaquada e castradora da liberdade dos cidadãos.

Cá, a nossa oposição entretém-se com o seu próprio umbigo...

Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Olá Meg,

Tive que ir ao teu 'canto' ver se algo se teria passado, porque não estava a perceber a tua entrada. Agora já percebi e, de certa forma, também me senti aliviada porque o tempo que vou arranjando para isto mal chega para fazer uma visita aos blogs amigos e publicar qualquer coisa cada dois ou três dias.

Sempre entendi que no mundo dos 'blogs', cada qual é livre de fazer e agir como entender. Por isso entendo também que a atitude que tomaste só a ti diz respeito. Por mim, em nada altera o relacionamento que temos mantido. Naturalmente que serás sempre bem-vinda aqui à Reserva.

Um Grande Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Olá RendaDeBilros,

Não sei se viste os noticiários da noite na TVE. Aconteceu exactamente o que dizes!
Toda a Espanha acabou por ver a 'portada' da revista, que doutra forma passaria completamente desapercebida para milhões de espanhóis. O 'fiscal general', com esta atitude que a oposição em bloco já condenou com veemência, acabou por obter o resultado contrário. E o 'boneco' acabou mesmo por passar fronteiras.

Passaram uma entrevista aos tipos da revista, que à boleia desta zaragata, já anunciaram um número especial com 'bonecos' apropriados ao acontecido.

Um Xi da Porca

Retratos