A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

09 março, 2007

NeoSimplex


"Uma criança nasceu hoje por volta das 09h00 numa ambulância dos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz [BVFF], ao quilómetro 17 da auto-estrada 14, a caminho da maternidade em Coimbra.

Este é o primeiro nascimento de uma criança a caminho de uma unidade hospitalar de Coimbra, após ter sido encerrado, no início de Novembro de 2006, o bloco de partos do Hospital Distrital da Figueira da Foz [HDFF].

A A14 liga a Figueira da Foz e Coimbra, cidades que distam cerca de 50 quilómetros."

in ' Público '


Estas são, pelo que vemos, as novas unidades de Neonatologia 'Simplex' criadas neste país de merda por um 'lato' de merda que dá pelo nome de Correia de Campos.

Diz que é Ministro! Da Saúde!

Diz o povo e dou-lhe eu razão! De qualquer merda se faz um Ministro...

9 comentários:

Laurentina disse...

BOAAAAAAAA , tem música.
Gostei.
Esse monte de merda no hospital da terra dele não mexe .Nunca se ouviu falar no hospital de Viseu ... ai não que o Ruas que é primo dele e PRESIDENTE da CAMBRA da-lhe com um malho nos cornos.
É sempre a abrir ...

Bom fim de semana

Kaotica disse...

Assim se incentiva a natalidade no nosso país. Todos estes cortes nos serviços públicos e não há quem corte as goelas a um ministro destes para dar o exemplo!

Abraços

MPS disse...

Quando eu nasci distinguia-se entre os que nasciam em casa e os que nasciam na maternidade. Hoje distingue-se entre quem pode nascer na maternidade e quem tem que o fazer na ambulância. Grande progresso! Viva a igualdade!

Um abraço

Porca da Vila disse...

Laurentina,

Depois de uma visita ao teu blog, percebi a escolha do teu 'nickname'.

Nunca estive em Moçambique, mas amigos e familiares meus que lá estiveram e viveram [alguns nasceram], diziam maravilhas daquele país.

Vou 'linkar' o teu blog ao 'Braganzónia' pois vi que já fizeste o mesmo. Obrigada.

Aparece sempre.
Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Kaotica,

Só tenho pena que não tenha sido ele a parir na ambulancia, em plena estrada.

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

MPS,

E os que são obrigados a ir nascer em Espanha...

Um Xi da Porca

JPG disse...

Cada vez seremos menos, pois então!

Assim se brinca aos ministros!

Um abraço.

Porca da Vila disse...

Jorge,

E os Espanhóis cada vez mais e cada vez mais fortes...

Um Xi da Porca

A. João Soares disse...

Continue a valorizar os monumentos, as tradições, os eventos, as notícias da região e do País. O interior precisa de ser realçado, a fim de os políticos aprenderem que ele existe e também é Portugal. Publiquei em DO MIRANTE Um post que versa o interior da Beira Alta, com o título O INTERIOR PORTUGUÊS ESTÁ OSTRACIZADO.
Se desejar pode publicá-lo no seu blogue ou fazer-lhe referência.
Temos que fazer intercâmbio de links e referências nos nossos trabalhos por forma a chamar a atenção para escritos que mereçam ser divulgados para bem do País, através do esclarecimento das pessoas. Os visitantes e comentadores situam-se num círculo estreito e temos de levar as ideias construtivas até mais longe.

Abraços e parabéns pela forma como está a defender a sua terra.

Retratos