A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

25 outubro, 2007

Mamadeira

"A despesa pública com as subvenções vitalícias dos titulares de cargos políticos irá ultrapassar os 7,6 milhões de euros em 2007. Com o número de beneficiários a rondar as 382 pessoas, a verba afectada para o próximo ano, como prevê a proposta do Orçamento do Estado para 2007, representa um aumento de 6,4 por cento face aos cerca de 7,2 milhões de euros orçamentados para este ano.

Em média, cada beneficiário recebe por ano 20 mil euros, o que dá uma pensão mensal média de 1666 euros durante 12 meses."


[A Lei n.º 4/85, de 9 de Abril, especifica o universo de beneficiários com direito a subvenção vitalícia: 'Os membros do Governo, os deputados à Assembleia da República e os juízes do Tribunal Constitucional que não sejam magistrados de carreira têm direito a uma subvenção mensal vitalícia desde que tenham exercido os cargos ou desempenhado as respectivas funções após 25 de Abril de 1974 durante oito ou mais anos, consecutivos ou interpolados'. Posteriormente, o período temporal foi alargado para 12 anos.]




A cambada que adquire o direito de ficar para sempre a 'mamar' na teta do Estado ao fim de doze anos de 'trabalho', é a mesma que obriga os seus funcionários a trabalhar até aos 65 anos de idade para lhes dar uma reforma de merda!... Porreiro, pá!

17 comentários:

Meg disse...

Mas é que não há porca, desculpa, orçamento que aguente!
Mas afinal o que se passa nesta "espécie de país"?
São esses, mais os militares e todas as alcavalas, mais... são muitos mais!
E nós? Nem sequer há migalhas!!!

Meteram o socialismo na gaveta, já venderam os móveis, já deitaram a casa baixo, já venderam o terreno, e agora...?????

E NÒS???
Que mal fizemos, a não ser acreditar "neles".
Isto está a correr muito mal, amiga Porca.

Um xi pa ti

Carminda Pinho disse...

É pá ganda nóia! pensavam que "pequenito" MM ia abdicar da sua reformazita vitalícia?
Eu acho que ele queria mesmo era que o LFM ganhasse. "Consta" que até lhe mandou ma mensagem que dizia:

Porreiro pá!!!

E depois dizem que ...ah e tal os partidos não devem desaparecer...

PQP todos!!!

Beijinhos

Marreta disse...

Está excelente a imagem.

Quanto à cambada, continuo a dizer que a culpa é nossa, ou seja do povinho. Somos nós que os lá pomos. Quando finalmente percebermos que a coisa tem que mudar, já eles se encheram tanto que explodem de fartura.

Saudações do Marreta.

Independente disse...

... mas ainda tenho uma certa esperança, que a curto, médio ou longo prazo, o verdadeiro povo ainda possa vir a ter a possibilidade de cavalgar essas bestas.

Ka disse...

É fantástica a coerência do Estado...

E sabes o que me irrita? É que sabemos que o desfalque não fica por aqui...

Um xi da ka

Porca da Vila disse...

Meg,

Nós não passamos de uma espécie de números. De eleitor quando precisam dos nossos votos, e de contribuinte para pagarmos os impostos que alimentam estas poucas vergonhas...

O socialismo esse, já foi sem nunca o ter sido...

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Carminda,

Os partidos, claro! Aí é que assenta todo o 'esquema' que permite esta mamadeira toda! Hoje mamamos nós, amanhã mamais vós!

Ainda gostava que alguém me explicasse porque raio teremos nós de pagar com os nossos impostos as campanhas dos partidos!

Um Xi Grande

Porca da Vila disse...

Marreta,

Se eu soubesse que rebentavam mesmo, não me importava nada de pagar ainda mais impostos. O problema é que aos bolsos destes gajos nunca se lhe encontra o fundo...

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Independente,

Essas coisas levam décadas, porque os maus hábitos são os que mais tardam em se perder. Pode ser que chegue esse dia, mas não será já certamente na minha geração ou dos nossos filhos.

Um Xi da Porca

Porca da Vila disse...

Ka,

Não fica não, que a tendência é para piorar. A cambada está a tomar o freio nos dentes e o nosso povo está completamente apático.

Eu vejo em Espanha o povo a manifestar-se quase diariamente com energia, e vejo greves a sério com resultados visíveis. Aqui parecemos um rebanho de cordeiros que se contenta com umas esmolas e umas promessas mal amanhadas que raramente são depois cumpridas. Assim não vamos lá!

Um Xi Grande

Moriae disse...

Se considerar-mos a relação proporcional entre os 200 mil esses dos '12 anos e pimba porreiro pá' a coisa até que fica engraçada!
Ah ah ah [raios os partam MESMO!!! porque, seria simples resolver tudo se o exemplo viesse de cima e não camuflado em discursos que servem para tempo de antena ou treino no meio da multidão "semi-enraivecida"]
Bolas!
E para ti minha querida amiga, um grande beijinho e excelente fim-de-semana.
Já agora, a música continua como sempre, soberba!

Porca da Vila disse...

Moriae,

Bolas?! Se o povo as tivesse na hora de votar, estes gajos iam todos dar uma grande volta e as coisas seriam [talvez] um pouco diferentes! Talvez, porque fica sempre a dúvida se os 'outros' não fariam igual. Ou pior!

Bom fim-de-semana para ti também.

Um Xi Grande

Porca da Vila disse...

Moriae,

Se bem que pior já é difícil...

Outro Xi

Victor Alves (Zoelae) disse...

Onde está a igualdade de direitos neste país? Isto devia ser caso para ir ao Tribunal dos Direitos Humanos...

Porca da Vila disse...

Olá Victor Alves,

Suponho ser a primeira vez que por aqui passa. Obrigada pela visita.

Igualdade de direitos?! Que direitos?! Eu pouco mais vejo do que deveres! Desde estar calada a pagar cada vez mais impostos para sustentar as mordomias da classe política!...

Um Xi da Porca

Rui disse...

Muito embora eu não ataque (nem defenda) a classe política enquanto todo, concordo que existem verdadeiras aberrações no modo como o aparelho estatal gasta o dinheiro de todos nós.
Mais abismado fiquei, quando há pouco tempo soube que com quatro presidentes da república (apenas um em exercício) Portugal gasta mais do que Espanha com a sua Casa Real.
Já agora, a “réquinha” é dos nossos Bísaros?
Bj

Porca da Vila disse...

Rui,

Nestas coisas, os espanhóis à nossa beira são uns pelintras!...

Um Xi

Retratos