A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

19 julho, 2007

O Buraco


"O número de trabalhadores portugueses em Espanha continua a aumentar, havendo no mês de Junho mais de 79 mil registados no sistema da Segurança Social espanhola, consolidando-se assim como a segunda maior comunidade da União Europeia.

O número total de portugueses a viver em Espanha é significativamente mais elevado - estimado por alguns responsáveis em próximo de 100 mil - já que o valor oficial de 79 mil apenas representa os trabalhadores registados na Segurança Social, sem contabilizar os seus familiares.

A maior comunidade, em valores absolutos, reside na Galiza - um total de 12 258 registados ou mais de 71% do total de imigrantes oriundos da UE."




A este ritmo, só para Espanha, Portugal terá perdido mais de 10 por cento da população dentro de 10 anos.

A isto, junte-se o decréscimo galopante da taxa de natalidade, o previsível acréscimo, igualmente galopante, do número de abortos praticados, e adivinhe-se o enorme buraco para onde este país de merda está a ser alegremente arrastado pela 'Engenheiria' económica e social dos 'alorpados' cor-de-rosa!...


6 comentários:

Rendadebilros disse...

Estás sempre a fazer contas... já que , no Governo, há défice de Matemática... fazem umas contas que nunca batem certo!!! E Viva Espanha! - quer dizer estou a canatar o paso doble.... eheheheh

Beijos.

Porca da Vila disse...

Olá RendaDeBilros,

Ainda ontem vi num jornal local [Voz do Nordeste] um anúncio de página inteira, de um Hotel de Zamora a pedir cozinheiras e empregados de mesa.

Espanha anda para a frente, e Portugal sempre a andar para trás! Essa é que é a verdade, e cada vez ficamos mais distanciados.

Um Xi da Porca

Luikki disse...

com os cumprimentos do falso engenheiro e da restante corja que (se) tem governado no rectângulo...

Porca da Vila disse...

Olá Luikki,

Talvez tenham a recompensa mais depressa do que pensam...

Xi da Porca

Antonio Delgado disse...

Espanha apresenta-se, para muitos portugueses como um Pais de esperança ... e aqui é o " lEVANTAR HOJE DE NOVO" como diz o hino e que os partidos que vão para o governo cumprem à regra com os seus programas. Cordialmente

Antonio Delgado
PS. A foto é muito estética.

Porca da Vila disse...

Olá Antonio Delgado,

De esperança e principalmente de salvação... para quem de um dia para o outro se vêm sem trabalho!

Um Xi da Porca

Retratos