A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

10 abril, 2007

Sem Vergonha. Sem Fronteiras.


'Documentos cuestionan el título de licenciado del primer ministro portugués'

"El ministro de Ciencia, Tecnología y Enseñanza Superior portugués, Mariano Gago, anunció ayer el cierre forzoso de la Universidad Independiente de Lisboa por degradación de las condiciones pedagógicas.

Esta medida, con carácter provisional a la espera de posibles alegaciones del centro, se debe a los problemas surgidos dentro de la empresa propietaria de la Universidad, SIDES, acusada de malversación de fondos y falsificación de documentos. Las detenciones y dimisiones de rectores y docentes en las últimas semanas han perjudicado seriamente a los alumnos, motivo por el cual Mariano Gago entiende que esta institución privada creada en 1994 debe cerrar.

Tras esta medida se espera que el primer ministro, José Sócrates, hable públicamente sobre su currículo académico como ex alumno de la Universidad Independiente. Diplomado en Ingeniería Civil por el Instituto Superior de Ingeniería de Coimbra, el entonces secretario de Estado en tiempo de Guterres pidió la transferencia para la Universidad Independiente donde se matriculó de cinco asignaturas con las que obtuvo el título de Licenciado.

Varios medios de comunicación lusos han publicado en las últimas semanas documentos que demuestran que en 1996 en la UnI no hubo ningún licenciado en Ingeniería Civil, año en el que Sócrates obtuvo el título de Ingeniero en esta especialidad. Su diploma fue firmado un domingo, cuando supuestamente la administración del centro estaba cerrada."

in ' ABC ' [Espanha]


A polémica relacionada com o 'milagre dos canudos' passou a fronteira e é agora também notícia na imprensa Espanhola.

[Qué verguenza, señor Sousa...]

6 comentários:

Ka disse...

Bom dia!,

É realmente uma vergonha tudo o que se passa neste país e que ainda por cima sai fora de portas...

Hoje a criatura vai dar uma entrevista na tv, veremos qual a milagrosa explicação que tem para nos dar!

Um xi da KA

PS - Espero que a pascoa tenha sido boa!

Porca da Vila disse...

Ka,

Vão dar-nos um número de Ilusionismo, onde tudo o que não é, vai parecer que é. E vice-versa.

Um Xi da Porca

JPG disse...

A notícia contem um erro, acho. Ele nunca foi "diplomado por nenhum Instituto Superior de Engenharia de Coimbra, andou foi no ISEL!

Quanto ao resto, acho que já percebeu quem quer mesmo perceber!
Nem vou ouvir a entrevista com perguntas e respostas preparadas desde há dias!

Put a keep ar' you!

um abraço.

Porca da Vila disse...

Jorge,

Acho que nos vão dar um número de circo... Com ilusionistas e contorcionistas!

Os palhaços, somos nós...

Um Xi da Porca

Anônimo disse...

Não foi nesta "UNIVERSIDADE"(??!!!)" que o sr "DR" Vara tirou (???!!!) a licenciatura ????
Se foi, será que foi a todos os exames????
Apartir deste momento pode-se questionar tudo!!!
Oxalá estejamos todos enganados.

Porca da Vila disse...

Anónimo,

Parece que foi. O que 'tirou', e se por lá fez algum exame, não sei...

Um Xi da Porca

Retratos