A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

15 novembro, 2006

Ventos de Espanha...


"Otras once personas, entre ellas la ex mujer de Julián Muñoz, Mayte Zaldívar, y el ex presidente del Sevilla Fútbol Club José María González de Caldas, engrosaron ayer la «lista de la Malaya», de la que ya forman parte más de 70 personas y que podría aumentar en el futuro. Los cargos que se imputan a los últimos arrestados van desde el blanqueo de dinero al cohecho.
Además de los ya citados Zaldívar y González de Caldas, fueron arrestados un aparejador hermano de la primera, de nombre Jesús; el funcionario judicial de Marbella Francisco Ramírez Olivera; los empresarios Giovanni Piero Montalo, Francisco Zambrana, Manuel Lores Romero, Eusebio Sierra Sánchez, José María Enríquez García y Manuel López Benjumea, y Benjamín Martínez Cantero, director de una oficina bancaria."

[ABC]

"Maite Zaldívar ha sido la primera en comparecer ante el magistrado Miguel Ángel Torres, tras pasar la noche junto al resto de los detenidos en los calabozos de la Comisaría Provincial de Málaga. Su declaración comenzó pasadas las 11:00 horas y terminó cuatro horas más tarde. Posteriormente, está previsto que presten declaración su hermano Jesús, el director de la sucursal, y Manuel Lores.
La ex esposa de Julián Muñoz alcanzó popularidad por las frecuentes apariciones en los programas televisivos del corazón, en alguno de los cuales relató cómo vio en su casa bolsas de basura llenas de billetes, y en otros criticó la actitud de su ex marido y su relación amorosa con la cantante Isabel Pantoja."

[El Mundo]

[Lista completa e actualizada dos implicados na 'Operación Malaya', em Marbella/Espanha AQUI]

Seria possível coisas como esta serem, em Portugal, investigadas de forma rápida e eficiente, sem perda de tempo e sem juízes a gaguejar?
Basta ver a palhaçada em que está transformado o processo Casa Pia e a resposta não pode ser senão uma!
Estes 'ventos' que vão chegando de Espanha não interessam à cambada de inúteis [PS/PSD/CDS] que por cá tem dominado o Poder [Político e Judicial] desde o final da década de 70!
Um raio que os parta!

Um comentário:

Ex-PCP disse...

Não te esqueças também do PCP, que com a muleta "Vasco Gonçalves", conseguiu em meia dúzia de meses, destruir a economia do país, além de ter destruido também muitas familias da classe média, e média baixa, não falando das centenas de pessoas que mandou para a prisão.

Retratos