A Reserva

Encravada entre a província portuguesa de Trás-os-Montes e a província espanhola de Zamora [Castilla y León], a região da Braganzónia [Braganza+Amazónia] é considerada, como sempre foi pelo Poder [monárquico ou republicano] de Lisboa, uma autêntica Reserva de Índios, reconhecida por qualquer viajante esclarecido como das mais atrasadas da Europa.

Atrasada, abandonada, desprezada, quase renegada e indesejada!

E não poucas vezes espoliada do pouco que já lhe resta para além da genica, do orgulho e da dignidade dos que nela vão sendo ignorados!

Para os Senhores do Poder, a Braganzónia foi sempre um empecilho que apenas dá despesa, poucos impostos e quase nenhuns votos!

Que os interessou apenas enquanto foi preciso recrutar mancebos fortalhudos, habituados à fome e à porrada, para mandar às guerras de África!

A reserva abrange actualmente 106 tribos, agrupadas em 49 zonas de caça dispersas por uma área de 1.173 quilómetros quadrados.

Eram 34.752 os índios que ocupavam esta vasta área em 2001 [trinta por quilómetro quadrado].

Algumas dessas tribos, as da metade Norte da reserva, desde a fronteira espanhola até aos velhos trilhos que ligam Braganza [a tribo maior] à zona Leste de Vinhais [reserva irmã da Braganzónia] e à zona Oeste de Alcañices [reserva espanhola pouco menos desprezada por Madrid], foram há uns anos atrás, sem para tal serem ouvidas e contra-vontade, integradas no Parque Natural de Montesinho.

Transformando-lhes o quotidiano num verdadeiro inferno porque, entre outras coisas, lhes não é sequer permitido cortar livremente a lenha de que são donos para manter o fogo que lhes aquece o corpo durante o Inverno. Que na Braganzónia é rigoroso, faz doer as unhas e gelar os rios!

Agora, cada índio tem que [muito respeitosamente] solicitar aos Senhores do Parque o especial favor de uma autorização para cortar meia dúzia de paus que mal chegam para os gatos tirarem o frio do lombo!

Melhor fora que o tal Poder os abandonasse de vez à sua sorte para livremente poderem decidir o futuro!

03 novembro, 2006

Raptem o Baltasar...

… e levem-no para Lisboa!

Em vez dos habituais palhaços, era um HOMEM destes que Portugal precisava para Procurador Geral! Havia de ter bem com que se 'entreter' por cá!

Para além de tudo o que já mostrou ser capaz em Espanha, chegou agora a vez de ter o 'luso' BES debaixo de olho …

Mais nada! Havia de ser em Portugal!


" Más de 1.500 millones de euros han sido bloqueados de cuentas de las entidades Espírito Santo, BNP, Cahispa y Sociedad Cartera Meridional, dentro de la operación 'Suéter', llevada a cabo por la Fiscalía Anticorrupción.
Las sedes de las entidades han sido registradas, aunque tanto BNP como Espírito Santo han declarado que la investigación afecta sólo a 'clientes' y no a su 'actividad'.
El juez de la Audiencia Nacional Baltasar Garzón será el encargado de investigar las diligencias. "

[Ler aqui a notícia publicada no ' EL PAIS ']

3 comentários:

Arrebenta disse...

Acho indecente...

Porca da vila disse...

Arrebenta,

O Baltasar Garzón aqui não ia ter mãos a medir!
E os espanhóis se calhar nem iam notar a falta dele.
Apesar de ser o mais agressivo, por lá têm mais como ele.
Nós por cá é que nem um!

Um Xi da Porca [BFS]

3peidos disse...

Tinhamos a M. J. Morgado, mas como andava a incomodar silenciaram-na.

O nosso Polvo é enorme, qual Adamastor

Retratos